13 jun 2018 - 11:41

TEM QUE IR

Sobremesas do restaurante Matryoshka | Foto: Reprodução
Sobremesas do restaurante Matryoshka | Foto: Reprodução

Esqueça o fausto dos czares, os estereótipos dos consumidores devoradores de grifes de luxo e até – só um pouquinho – os desmandos desvairados de Putin. Existe, sim, uma Rússia ultracontemporânea, urbana e que está surfando na onda dos estilistas egressos da ex-União Soviética. Só para citar alguns, temos o georgiano Demna Gvasalia, à frente da Vetements e da Balenciaga; a ucraniana Yulia Yefimtchuk, que conquistou o júri do último Festival de Hyères; e o russo Andrey Artyomov, dono da marca Walk of Shame.

Restaurantes inevitáveis: o Café Pushkin, que acaba de abrir filial em Paris, e o vizinho Turandot (para jantar entre veludos, brocados e boiseries douradas) são os clássicos. Mas o restaurateur Andrey Dellos, dono do Pushkin, acaba de abrir uma nova casa na cidade, o Matryoshka, onde se come o melhor estrogonofe do mundo – sem molho de tomate e com funghi, commeilfaut.

O Quadrum, do Four Seasons, o melhor e mais bem localizado de Moscou, a poucos passos da Praça Vermelha, tem um brunch espetacular com bortch, pirojki e suco de granada do Cazaquistão (ah, nem conto). Outro brunch que atrai a gataria local é o do Yunost Cafe, com drinques deliciosos.

Leia Mais