19 out 2021 - 09:20

DICA DE SAÚDE

Clarissa Pinto | Foto: Igor do Ó

Você sabe até onde vai o seu limite?

A palavra “limite” pode nos enganar e passar a ideia de algo que é mantido separado, mas os limites são, na verdade, pontos de ligação. O conceito de limite está associado ao momento que determina um tempo, uma linha que não se deve ultrapassar. A maior parte das pessoas não se respeitam por não conhecerem seus limites.

Nós sabemos quais são os nossos limites?
Conhecê-los nem sempre é fácil, pois é necessário autoconhecimento, uma vez que ele é a base para que possamos reconhecer nossos limites e para dar o tom necessário para que eles não sejam ultrapassados.Para saber essa resposta é necessário um primeiro passo que antecede essa etapa: o reconhecimento de cada um dos nossos limites, pois eles nos dão espaço para crescer, contudo, também nos tornam vulneráveis. Por isso, é importante saber o que te agrada, quais tarefas você consegue absorver sem se sobrecarregar, quando pedir ajuda, identificar seus valores e até onde você pode ir em determinadas situações. Toda essa busca não é egoísmo, e, é sim o estabelecimento de seus próprios extremos.

Quando damos limites aos outros, nos favorecemos e melhoramos nossos relacionamentos com familiares, parceiros e amigos, por oferecer, assim, condições para que essas relações sejam mais saudáveis, criando laços de confiança, transparência e clareza. A nossa incapacidade de nos defender do outro é o que causa, na maioria das vezes, ressentimento, afetando nossa autoestima e identidade. Diante dessa realidade, “limite” pode ser definido como uma barreira de defesa do nosso emocional e, se não conseguirmos tê-lo claro, podemos optar por fazer psicoterapia .

Clarissa Pinto
Psicologa – CRP: 13/3546

Leia Mais